Economia dos EUA deve crescer 3,4% este ano, diz Casa Branca

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos deve crescer 3,4% este ano, após registrar uma alta de 3,9% em 2004, disse nesta quarta-feira o governo americano. "O crescimento econômico é sustentado e forte, e os fundamentos de nossa economia são robustos", afirmou o secretário do Tesouro, John Snow, na apresentação das previsões do Conselho de Assessores Econômicos da Casa Branca. Essas previsões são resultantes de consultas do Conselho de Assessores Econômicos, do Departamento do Tesouro, do Escritório de Administração e Orçamento e de outras agências do governo, e confirmam os principais cálculos anunciados há seis meses.A longo prazo, os economistas do governo acham que o PIB dos EUA crescerá 3,4% em 2006; 3,3%, em 2007; e 3,2%, em 2008. A partir de então, está previsto que a economia cresça a um ritmo de 3,1% em 2009 e em 2010. "A desaceleração prevista reflete a antecipação de um crescimento mais lento da população com idade para trabalhar, e a aposentadoria da geração nascida entre 1946 e 1964", segundo o relatório. "A expansão econômica continua", afirmou no documento Havey Rosen, presidente do Conselho de Assessores Econômicos.Mercado de trabalhoO documento destaca que também há bons prognósticos para o mercado de trabalho, depois que "houve um ganho mensal líquido médio de 180.000 postos de trabalho nos cinco primeiros meses de 2005". Para todo o ano, os economistas do governo calculam que haverá um ganho mensal líquido médio de 178.000 empregos.De acordo com os cálculos do governo, o desemprego, que foi de 5,5% da força de trabalho em 2004, cairá este ano para 5,3%. Em 2006 e 2007, o governo de George W. Bush calcula que o desemprego será de 5,1%. "Todos os indicadores mostram que a política econômica do presidente está funcionando, especialmente para aqueles que buscam emprego", declarou Snow. "O índice de desemprego está agora num nível baixo que raras vezes vimos em nossa história, e nos dois anos que passaram a economia criou 3,5 milhões de postos de trabalho", acrescentou.InflaçãoQuanto à inflação, o cálculo dos economistas do governo é que este ano o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) suba 2,9%, e que, em 2006 e "mais adiante", se estabilizará em cerca de 2,4%. Nos 12 meses até abril passado, o IPC subiu 3,5% , e, excluindo os preços dos alimentos e combustíveis, que são os mais voláteis, a inflação subjacente (o núcleo do IPC) foi de 2,2%. "As recentes transações nos mercados financeiros futuros sugerem que os investidores esperam que as taxas de juros a curto prazo subam um pouco mais", acrescentou o relatório. "As projeções do governo sobre os juros refletem essas opiniões", acrescentou.A atualização das previsões econômicas, que serão usadas para a revisão do orçamento nos próximos dois meses, coincide com as divulgadas pelo governo em dezembro passado e as usadas para elaborar o orçamento enviado por Bush ao Congresso para o ano fiscal 2006, que começa em 1º de outubro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.