Economia dos EUA permanece fraca, indica relatório do Fed

Segundo o Livro Bege, mercados imobiliário e de trabalho continuam enfrentando problemas no país

Marcílio Souza, da Agência Estado, e Dow Jones,

10 de junho de 2009 | 16h01

As condições econômicas continuam fracas nos Estados Unidos e até mesmo pioraram em algumas regiões do país em maio, com os mercados imobiliário e de trabalho continuando a enfrentar desafios, mostrou o Livro Bege. O documento, que é um sumário das condições econômicas atuais feito com base numa pesquisa com as unidades regionais do Federal Reserve, refere-se ao período que vai de meados de abril até 1º de junho.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

O relatório mostrou que, apesar dos esforços do governo para revigorar os mercados de crédito, os consumidores ainda encontram muita dificuldade para obter empréstimos. Cinco dos 12 distritos do Fed veem a recessão perdendo certa força, mas ainda não esperam um impulso significativo da atividade econômica em 2009.

 

Quando se trata da indústria de manufatura, a maior parte dos distritos reportou níveis piores ou ainda baixos de atividade. Mas muitos deles também apontaram que a perspectiva para o setor melhorou levemente.

 

O gasto com varejo também segue fraco, com os consumidores abrindo mão de itens de luxo e carros novos. Diversos distritos citaram condições apertadas de crédito que estariam limitando as vendas de automóveis. O turismo também tem declinado.

 

Comentários sobre o mercado imobiliário vieram mais favoráveis, com Nova York, Filadélfia, Cleveland, Richmond, Chicago, Kansas City, Dallas e São Francisco reportando mais vendas de moradias e certa estabilização da atividade de construção, embora em níveis muito menores.

 

Ainda assim, o setor imobiliário segue enfrentando desafios. "As taxas de desocupação de imóveis comerciais cresceram em muitas regiões do país, enquanto que as incorporadoras estão encontrando cada vez mais dificuldade para obter financiamento para novos projetos comerciais", disse o relatório.

 

As condições do mercado de trabalho seguem fracas. Já a inflação não é uma preocupação imediata. "Com poucas exceções, os distritos informaram que os preços em todos os estágios da produção ficaram geralmente estáveis ou caíram", atesta o documento. "A exceção notável a essa pressão baixista sobre os preços foi o aumento disseminado dos preços do petróleo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.