bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Economia dos EUA se contrai em ritmo acentuado no 4o tri

A economia dos Estados Unidos se contraiu no quarto trimestre no ritmo mais acentuado desde o início de 1982, mostraram dados revisados nesta sexta-feira. As exportações apresentaram queda e os consumidores cortaram gastos no maior ritmo em 28 anos, em meio a uma profunda recessão. O Departamento de Comércio informou que o Produto Interno Bruto (PIB) caiu a uma taxa anualizada de 6,2 por cento no último trimestre de 2008, muito mais profunda que os 3,8 por cento estimados no mês passado na divulgação preliminar. A estimativa mais fraca para o PIB reflete as revisões para baixo dos estoques e das exportações pelo Departamento. "É apenas destruição por toda parte. Não há nada bom para se tirar desse relatório. Eu acho que mais alguns trimestres ruins virão", disse Boris Schlossberg, diretor de pesquisa de moedas na GFT Forex em Nova York. As perspectivas para o primeiro trimestre são igualmente pessimistas, com dados apontando, até agora, uma aceleração do declínio econômico, agora em seu 14o mês. A economia norte-americana expandiu-se 1,1 por cento em 2008, no ritmo mais lento desde 2001, informou o departamento. O consumo, que responde por mais de dois terços da atividade econômica doméstica, recuou 4,3 por cento no quarto trimestre, maior queda desde o segundo trimestre de 1980. O dado foi revisto ante a baixa divulgada anteriormente de 3,5 por cento. As exportações, até recentemente um dos poucos pilares que sustentava a economia debilitada, despencaram 23,6 por cento, a queda mais acentuada desde 1971 e revisada ante a leitura preliminar de 19,7 por cento. Os estoques foram revisados para um declínio de 19,9 bilhões de dólares no quarto trimestre. O investimento empresarial recuou 21,2 por cento, maior queda desde 1975, frente estimativa anterior de baixa 19,1 por cento. O investimento residencial cedeu 22,2 por cento no quarto trimestre. A deterioração da economia está reduzindo as pressões inflacionárias. O índice de preços do consumo pessoal contido no PIB recuou 5 por cento no trimestre, queda recorde. Excluindo alimentos e energia, os preços avançaram 0,8 por cento no quarto trimestre, menor avanço desde 1997. (Reportagem de Lucia Mutikani)

LUCIA MUTIKANI, REUTERS

27 de fevereiro de 2009 | 11h52

Tudo o que sabemos sobre:
MACROEUAPIBATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.