Economia é triunfo de Lula, diz ´The Economist´

A revista The Economist afirmou nesta semana que o fato de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva estar liderando as pesquisas de intenção de voto, apesar de problemas como o escândalo do mensalão, ?sugere que ele acertou em duas grandes coisas: a economia e a redução da pobreza?. A reportagem é baseada em uma ?rara? entrevista concedida pelo presidente, durante a qual Lula ?citou insistentemente o que vê como seus triunfos gêmeos: estabilidade econômica e progresso social?.A revista britânica afirma que comparar as estatísticas do Brasil de hoje com as do tempo em que Lula assumiu o governo ?é como olhar para duas economias diferentes?.A estabilidade, diz o texto, está ajudando a planejar investimentos, e ?em breve o Brasil não precisará se preocupar com um real em queda impulsionando suas dívidas?, a pobreza está em queda e a desigualdade chegou ?ao nível mais baixo dos últimos 30 anos e continua caindo?, citando o economista Marcelo Neri.Ponto fracoMas a revista também aponta o que considera ser ?o ponto fraco? do governo Lula - os gastos do setor público. Apesar de um discurso ?animador? sobre temas como ?a retirada do Estado da economia e a profissionalização dos serviços públicos?, Lula ?não fez muito em nenhum dos dois?, critica o texto.A revista também diz que é ainda ?mais decepcionante? o fato de que ?o Brasil tem feito menos do que o esperado em educação e saúde?.A The Economist observa que Lula ainda não se declarou candidato à reeleição, mas ?suas viagens frenéticas pelo país inaugurando obras públicas que agradam a população deixam suas intenções claras?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.