Economias emergentes enfrentam desafios, diz Moody's

A recuperação econômica global está ganhando força, mas um crescimento econômico mais forte nas economias mais avançadas provavelmente estará associada a mais ajustes econômicos em alguns mercados emergentes, afirmou a Moody''s.

AE, Agencia Estado

18 de fevereiro de 2014 | 04h04

Em relatório sobre o cenário macroeconômico global, a agência de classificação de risco disse que com a trajetória de crescimento mais evidente nos EUA e no Reino Unido, bem como uma provável gradual recuperação na zona do euro, as economias avançadas parecem ter alcançado "um genuíno ponto de virada".

"No entanto, no curto prazo o crescimento econômico mais forte nas economias avançadas provavelmente estará associado a ajustes mais dolorosos em alguns mercados emergentes, à medida que investidores reequilibram seus portfólios", escreveu Colin Ellis, diretor-associado da Moody''s.

A Moody''s espera uma gradual aceleração na atividade econômica do grupo das economias avançadas do G-20, com um crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) de cerca de 2,3% neste ano, seguido por algo próximo a 2,5% em 2015. De modo geral, a Moody''s projetou um crescimento próximo a 5% do PIB para as principais economias emergentes, antes de subir para 5,5% em 2015.

"Em geral, a magnitude dos riscos ao cenário econômico central permanece relativamente baixo, comparado a algumas das substanciais incertezas nos últimos anos", escreveu a Moody''s, acrescentando que no momento parece improvável que a materialização de um risco específico em algum país ameace a economia global.

Tudo o que sabemos sobre:
Mundoemergentesmoodys

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.