Sandra Blass/Econ
Sandra Blass/Econ

Econômico faz sucesso com terraço e garagem

Em 4º lugar no ranking, Econ também tem na sua carteira o imóvel mais barato de SP, lançado em 2018 por R$ 129 mil

Heraldo Vaz, Especial para O Estado

25 de junho de 2019 | 03h00

O apartamento mais barato da cidade, no edifício My Click Morumbi, e o sucesso de vendas do APP Vila Prudente, na zona leste, marcaram o ano da Econ, especializada em produtos destinados ao programa Minha Casa Minha Vida, no limite de R$ 240 mil. Ganhou dois prêmios nesta edição do Top Imobiliário, em 4º lugar no ranking final tanto das construtoras como das incorporadoras, segundo os dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). Foram 11 projetos em 2018, com 2,9 mil unidades e valor geral de vendas (VGV) de R$ 730 milhões. 

O My Click Morumbi tem 464 apartamentos, com um dormitório, de 24 m², sem vaga de garagem. O preço de R$ 129 mil foi o menor entre todos os lançamentos do ano passado, de acordo com a Embraesp. O empreendimento tem a opção dois quartos com uma vaga. São apenas 15 unidades, de 36 m², por R$ 190 mil - em média, R$ 5,2 mil/m².

A diretora de Incorporação da Econ, Gil Vasconcelos, vai replicar esse projeto em São Mateus, na zona leste. “Para quem ganha de R$ 1.800 a R$ 2.600, dá para comprar”, afirma. O My Click São Mateus terá 250 unidades de 24 m² com um dormitório por R$ 120 mil. O lançamento será em agosto.

Com duas torres, de 19 andares, o empreendimento APP, na Vila Prudente, zona leste, foi lançado dia 27 de outubro, véspera do segundo turno da eleição presidencial. São 294 apartamentos (oito por pavimento) com dois dormitórios e uma vaga. O terreno de 6 mil m² era usado anteriormente como garagem de caminhões. 

Mobilidade

A Econ formatou o projeto para o segmento de habitação social, com uma planta de 41 m² e “varanda gourmet, o grande diferencial”, diz Gil. Perto da estação Tamanduateí e do metrô Vila Prudente, o APP oferece fácil acesso ao centro da cidade por meio das avenidas do Estado e Anhaia Melo. 

A diretora conta que todas as unidades foram vendidas pelo valor total de R$ 60,3 milhões. No fim de semana do lançamento, havia filas no estande. Com preço de R$ 199 mil até R$ 219 mil, é um imóvel econômico (R$ 5 mil/m²), que, segundo Gil, tem atrativos de médio padrão.

A Econ vai repetir o modelo em Guarulhos, na região metropolitana. Serão 350 unidades com dois dormitórios por até R$ 230 mil, diz a diretora de incorporação. “É a mesma planta, com 42 m² e terraço gourmet integrado à cozinha.” Ela espera obter o mesmo resultado do APP Vila Prudente.

A previsão para 2019 é lançar 13 empreendimentos. “90% serão enquadrados no MCMV, é o que tem mais liquidez”, declara, apostando na carência de ofertas para baixa renda. Para o segmento, lançou neste ano o Stories Belém, com dois dormitórios. O empreendimento também tem unidades com financiamento do Sistema Financeiro de Habitação (SFH), com 50 m², por R$ 270 mil e, de 74m², por R$ 440 mil. São duas torres que, como outros projetos da Econ, incluem lazer com piscina e quadra esportiva.

Na cola do médio padrão

Apesar de ter como opção preferencial construções para o programa Minha Casa Minha Vida, destinados a clientes com renda de R$ 4 mil a 6,5 mil, a Econ também trabalha com médio padrão.

 

No ano passado, lançou projetos On Belém View, na zona leste de São Paulo, e Vip Lago dos Patos, em Guarulhos, com preços de R$ 350 mil. A diretora de incorporação, Gil Vasconcelos, diz que a crise econômica cortou os lançamentos para esse segmento. 

“Nos últimos anos, apenas os imóveis econômicos se destacaram”, afirma, ao avaliar que no final de 2018 o quadro melhorou. “Para aproveitar a demanda reprimida, o setor voltou a investir no médio padrão, registrando boa velocidade de vendas.” Apartamentos mais caros também estão vendendo bem, diz Gil, citando como exemplo o edifício Horizon Alto da Lapa, lançado na zona oeste, com dois dormitórios, a partir de R$ 580 mil, e três quartos por R$ 1 milhão.

Tudo o que sabemos sobre:
mercado imobiliáriohabitação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.