Economista contesta argumento dos bancos sobre juros

O professor de Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), Oscar Luiz Malvessi, afirmou hoje ser inconsistente o argumento dos bancos de relacionar o elevado spread (diferença entre a taxa de captação e empréstimo) ao risco de crédito e aumento na inadimplência. Segundo o professor, "se a inadimplência fosse tão elevada, como explicar os altos lucros registrados pelos bancos nos balanços?"O professor disse temer a cobrança feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que os bancos oficiais reduzam as taxas de juros do crédito. Malvessi afirmou que isso representará a descapitalização dessas instituições. Para o economista, é preciso adotar medidas mais estruturais, como a redução do compulsório sobre depósitos à vista, estímulo à competitividade no mercado financeiro, diminuição do custo da intermediação financeira, queda nos juros básicos (Selic) para que se possa fazer com que o país volte a crescer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.