Economista da FGV não recomenda redução dos juros

O economista Salomão Quadros, coordenador do cálculo dos índices de preços da Fundação Getúlio Vargas no Rio, diz que ainda não é momento de o governo baixar a taxa de juros. Ele argumenta que a trajetória da inflação está atravessando um período de inércia e que é preciso esperar uma confirmação do quadro de queda da taxa para promover um corte nos juros."Também não há razão para elevação e talvez não haja necessidade de manter um viés de alta, mas é preciso manter a economia desaquecida para criar condições de queda da inflação." O economista disse que a pequena elevação da primeira prévia do IGP-M de abril ante a 1ª prévia de março (0,63% para 0,69%) não significa uma reversão na trajetória de queda, que estava sendo constatada pela FGV.Segundo ele, é demorado o processo de saída de uma inércia inflacionária, a não ser em casos em que o governo promova uma recessão forte, o que ele não considera que seja o caso.A tendência, avalia, é que no médio prazo a inflação volte a cair. E, somente então, na sua opinião, seria recomendável a redução dos juros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.