Economista defende real como moeda para projetos de infra-estrutura

O governo brasileiro dá sinais de ter transferido seu foco de atenção do médio para o longo prazo, o que é fundamental para financiar o ciclo de crescimento do País. A opinião é do economista Winston Fritsch, diretor da gestora de recursos Rio Bravo. Em entrevista ao programa Conta Corrente, da "Globo News", Fritsch enfatizou essa necessidade, porque o Brasil está crescendo e o investimento em infra-estrutura é absolutamente necessário para isso. "Não temos mercado de capital de longo prazo. E como financiar projetos de infra-estrutura em eletricidade, água, rodovias nos países que usam o setor privado para fazer isso? Por meio de empréstimos longos", explicou, acrescentando que "2005 é o ano da discussão sobre a criação de um mercado de capitais de longo prazo para financiar em reais esses projetos"."No Brasil", lembrou Fritsch, "os projetos de infra-estrutura foram financiados em dólar na década de 1990, porque havia a crença na estabilidade da moeda no longo prazo, o que não se mostrou verdadeiro." Por isso, ele sugere o financiamento em reais pelo fato de o investimento em dólares implicar grandes riscos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.