Economista diz que o Plano Real foi lastimável

O consultor Paulo Rabello de Castro criticou duramente hoje os efeitos dos 10 anos de Plano Real na economia e ironizou o fato de vários veículos da imprensa terem classificado a data como "digna de comemoração". "Eu sinceramente não vejo motivo nenhum para comemorar. O plano Real foi lamentável e deixou graves conseqüências", disse. Segundo estudo da consultoria dele, a RC Consultores, o crescimento econômico na década do Plano Real foi de 2,2% ao ano no Brasil, um patamar "medíocre".De acordo com ele, o período de dez anos "pré-Real", que foi de 1985 a 1994, apontou crescimento do PIB de 2,9%. "O Plano Real previa a completa desindexação da economia. E só o fato de acompanharmos os índices de inflação com tanto interesse hoje, mostra que isso não ocorreu", afirmou. Para ele, foi efetuada "uma política de juros tola" e que para mudar este cenário será necessária "uma mudança na mistura monetária e fiscal que valorize mais a austeridade fiscal".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.