Economista liberal John Kenneth Galbraith morre aos 97 anos

John Kenneth Galbraith, o professor de Harvard que ganhou renome mundial como economista liberal, político de bastidores e refinado cronista da sociedade, morreu aos 97 anos. Ele morreu de causas naturais no Hospital Mount Auburn de Cambridge, Massachusetts, disse seu filho Alan Galbraith. Galbraith, nascido no Canadá, tornou-se um dos maiores expoentes da teoria, conhecida nos Estados Unidos como "liberalismo", de que o governo deve intervir para resolver problemas sociais. Ele foi assessor de presidentes democratas desde Franklin D. Roosevelt a Bill Clinton e embaixador de John F. Kennedy na Índia. Seu livro A Sociedade Afluente (de 1958; publicado no Brasil pela Thomson Pioneira, em 1987) o projetou ao cenário internacional. A tese da obra é de que a economia norte-americana gerava riqueza individual, mas não se ocupava em grau suficiente de necessidades públicas tais como escolas e estradas. Argumentava que os economistas e políticos de seu país ainda se baseavam na hipótese de um mundo no qual primavam a riqueza e a pobreza de maneira quase universal. "Em conseqüência, nos regemos em parte por idéias que correspondem a outro mundo", escreveu. "Fazemos muitas coisas desnecessárias, algumas imprudentes e algumas poucas são dementes". Em 1999, um ranking da editora Modern Library colocou a obra no 46º lugar na lista dos 100 melhores livros do século de não ficção inglesa. Forças sociais compensatórias Galbraith também desenvolveu a teoria das forças sociais compensatórias, segundo a qual os sindicatos e outros grupos são necessários para alcançar o equilíbrio político e social. Richard Neustadt, colega do economista tanto na Universidade de Harvard como na colaboração com os presidentes Kennedy w Harry Truman, disse que Galbraith demonstrou que "é necessário conferir poderes diretamente ao povo para que possa brigar por seus próprios direitos". Galbraith, que finalizou seus estudos universitários en meio à Grande Depressão, "tinha grande confiança na capacidade para superar as dificuldades econômicas com ajuda do governos", disse Neustadt. Em 1975, depois de sair de Harvard, Galbraith foi apresentador da série de televisão britânica The Age of Uncertainty. O livro de mesmo título (em português, A Era da Incerteza) teve grande difusão, do mesmo modo que A Economia ao Alcance de (quase) todos. Outras obras Também escreveu 1929 - O Colapso da Bolsa (1955) e A Cultura do Contentamento (1992). Em 1987, em um artigo de jornal, analisou mais uma vez a quebra de 1929 e previu corretamente a queda do mercado que aconteceria nos meses seguintes devido às semelhanças entre às épocas. Viajante incansável, Galbraith escreveu um relato de seus anos na Índia e um romance, O Triunfo, sobre o que chamou "uma instituição incontrolavelmente cômica", o Departamento de Estado. Galbraith nasceu em 15 outubro de 1908 em Iona Station, Ontário, Canadá. Depois de se formar na Universidade de Toronto, em 1931, ele se mudou para os Estados Unidos, donde obteve o doutorado em economia na Universidade da Califórnia. Foi professor en Harvard de 1934 a 1939, em Princeton de 1939 a 1942, e funcionário do Escritório de Administração de Preços durante a 2.ª Guerra Mundial. Voltou a Harvard en 1948, onde permaneceu até sua aposentadoria, e presidiu por um período a Associação de Economistas dos Estados Unidos. Casou-se em 1937 com Catherine Atwater, com quem teve três filhos, Alan, Peter e James.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.