Wilton Junior|Estadão
Wilton Junior|Estadão

Economista Salomão Quadros morre aos 62 anos no Rio

Especialista em inflação, Quadros trabalhava na FGV havia 39 anos; ele estava internado desde o início do ano

Renata Batista, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2019 | 21h52

RIO - O economista e pesquisador Salomão Quadros, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (IBRE/FGV), morreu na tarde desta quinta-feira. Ele estava internado desde o início do ano por complicações decorrentes de uma doença na medula óssea, a síndrome mielodisplásica. Ele tinha 62 anos e trabalhava na FGV há 39 anos. Deixa a mulher Karina e as filhas Isadora e Julia.

O pesquisador era um dos maiores especialistas em índice de preços do Brasil, responsável pelas análises dos Índices Gerais de Preços (IGPs) e pela coordenação de diversos projetos na área de cálculos e análises econômicas. Antes de chegar à FGV, onde fez o doutorado em economia, formou-se em engenharia elétrica na Pontifícia Universidade Católica (PUC) e cursou o mestrado em engenharia de produção pela COPPE/UFRJ.

A doença, que faz com que a medula deixe de produzir os componentes do sangue, foi descoberta há cerca de dois anos. No início do ano passado, Quadros chegou a se submeter a um transplante de medula em São Paulo. De volta ao Rio, tentou retomar a rotina mas o enfraquecimento da medula acabou levando-o a sofrer com diversas infecções oportunistas.

Colega de Quadros no Ibre, Aloísio Campelo lembra que no livro “Muito além dos índices: crônicas, história e entrelinhas da inflação”, publicado em 2008, Quadros explorou também seu lado de cronista. “Ele ia além dos índices. Tinha essa capacidade de analisar as causas e consequências das variações de preços, de mostrar o impacto das diversas formas de medir a inflação sobre os índices”, resume, lembrando que, mesmo doente, ele fazia questão de analisar os índices e comentar com os jornalistas.

Em nota, a FGV lamentou a morte de Quadros, um “dos nomes mais relevantes em assuntos de macroeconomia”.  “Durante 15 anos, Salomão se dedicou à pesquisa e análise da inflação, sendo o responsável pelos principais indicadores econômicos do país, como o IGP-M. Ele escreveu também o livro “Muito além dos índices: Crônicas, histórias e entrelinhas da inflação”, declarou.

“Salomão era uma pessoa muito estudiosa, com uma cultural geral muito grande e foi um ótimo aluno no doutorado. Era um excelente amigo e colega de trabalho que deixará saudades”, lembra André Braz, coordenador do IPC do FGV IBRE.

O velório será realizado entre 9h e 11h de sábado, 26 de janeiro, no Salão Celestial do Memorial do Carmo, no Rio de Janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.