Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Economistas discutem rumos do juro e do câmbio

O cenário de turbulência mundial esquentou o debate sobre como garantir o crescimento sustentável da economia brasileira. De um lado, a ala dos economistas chamada de desenvolvimentista defende uma política cambial que restrinja a entrada de capital financeiro especulativo e uma política monetária que acelere a queda dos juros. Já economistas de outra ala argumentam que a política econômica deveria atacar prioritariamente o lado fiscal: o corte de gastos abriria espaço para que o mercado, naturalmente, ajustasse as taxas de juros e câmbio.Essa polêmica deverá centralizar o debate que o Grupo Estado promove hoje, a partir das 11 horas. Com transmissão ao vivo pela internet, por meio do portal Estadão, os economistas Luiz Carlos Bresser-Pereira, ex-ministro da Fazenda, e Ilan Goldfajn, ex-diretor de Política Econômica do Banco Central, vão analisar e debater os diferentes aspectos da questão ''''Crescimento: os Juros e o Câmbio no Rumo Certo?''''Os economistas também responderão a perguntas dos internautas, que poderão participar através do e-mail debate@estadao.com.br.Na opinião de Bresser-Pereira,o Brasil continua a crescer menos que outros emergentes porque não soube nem está sabendo aproveitar o bom momento de liquidez internacional dos últimos cinco anos.''''Não digo que a economia brasileira está estagnada, mas semi-estagnada'''', disse ontem o economista.''''Isso decorre de uma política equivocada baseada numa taxa de juros ainda escandalosamente alta e uma taxa de câmbio muito apreciada.'''' Ele defende o controle de entrada de capitais para depreciar o valor do real.Para Goldfajn, mais eficaz seria uma redução dos gastos públicos que tenderia naturalmente a depreciar a taxa de câmbio real e reduzir os juros.Segundo ele, isso abriria espaço para mais exportações, investimento e o tão esperado crescimento acelerado no Brasil.

Marcelo Rehder, Luciana Xavier e Célia Froufe, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2031 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.