Economistas e analistas tentam explicar crise argentina

Os economistas e analistas argentinos estão com a agenda cheia de compromissos no exterior para explicar a crise argentina. O país será o tema central de um seminário que ocorrerá no próximo final de semana na Universidade de Columbia, nos Estados Unidos. Intitulado "A crise econômica argentina e suas implicações para os mercados emergentes, o seminário reunirá economistas como os desaparecidos ex-ministros de Economia do país, Domingo Cavallo e José Luis Machinea, os ex-integrantes de suas respectivas equipes econômicas, Pablo Guidotti e Miguel Kiguel, e o economista chefe do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), Guillermo Calvo, com quem Cavallo teve duras brigas no ano passado. Já, em Nova York, nesta quinta-feira, estará o candidato à presidência, o economista da Fundação de Investigações Econômicas Latino americanas (Fiel), Ricardo López Murphy. Ele participará de um evento junto com o sub-secretário do Tesouro norte-americano, John Taylor, o diretor do FED de N.Y, William McDonough, e o renomado Jeffrey Sachs. López Murphy estará em um painel sobre "as eleições da crise argentina" junto com Charles Calomiris, defensor da reestruturação da dívida argentina e dono da idéia de que o país deveria ser administrado pelos norte-americanos, e ainda com o assessor do também candidato à Presidência, Carlos Menem, Steve Hanke, e ainda com Alan Meltzer.As explicações sobre a crise argentina nos Estados Unidos tiveram início ontem, em Miami, com o chanceler Carlos Ruckauf, o ex-ministro de economia, Ricardo López Murphy e o governador de Neuquén, Jorge Sobish, participando de um painel na Conferência das Américas 2000, organizada pelo jornal The Miami Herald. Também participarão em N.Y e em Washington dos seminários organizados por The Economist e a Universidade de Columbia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.