Economistas esperam superávit primário de 4%

A meta de superávit primário para o ano de 2003 a ser anunciada pela equipe econômica amanhã deverá ficar entre 4% e 4,10%, segundo esperam os economistas Mário Mesquita, do ABN Amro Bank, e Edson Luiz Soares, da Caixa Econômica Federal (CEF). No ano passado, depois de uma revisão feita pelo governo brasileiro com a anuência do FMI, a taxa de superávit primário - receita menos despesas, exceto gastos com juros ? saltou de 3,75% do PIB para 3,88%.Mas os esforços do governo possibilitaram um superávit de 4,06% do PIB nas contas do governo, considerando a inflação, afirma o economista da CEF, para quem uma 4,10% seria razoável. Até que seja anunciada a nova taxa, continua valendo a meta de superávit primário de 3,75% para 2003. Para Mesquita, do ABN Amro, o anúncio de uma meta próxima de 4% seria positiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.