Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Mercado passa a ver inflação abaixo do centro da meta em 2017, a 4,47%

A previsão anterior era de 4,64%; expectativa para o dólar é de R$ 3,36 no encerramento de 2017, abaixo dos R$ 3,40 de uma semana atrás

Fabrício de Castro, O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2017 | 09h17

BRASÍLIA -  Economistas de instituições passaram a ver a inflação abaixo do centro da meta de 4,5%, em 2017 e 2018 com expectativa mais baixa para o dólar, segundo pesquisa Focus apurada pelo Banco Central. O documento, divulgado nesta segunda-feira, 13, mostra que a mediana para o IPCA - o índice oficial de inflação - em 2017 foi de 4,64% para 4,47%. 

A margem de tolerância do BC para estes anos é de 1,5 ponto porcentual (inflação até 6,0%). No comunicado que se seguiu à decisão de política monetária do dia 11 de janeiro, o Banco Central atualizou as projeções para a inflação em seu cenário de referência: 4,0% para 2017 e 3,4% em 2018. Na última quarta-feira, 8, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA de janeiro foi de 0,38% - o menor para o mês desde o início da série histórica, em 1994.

O relatório também mostrou que a cotação da moeda americana estará em R$ 3,36 no encerramento de 2017, abaixo dos R$ 3,40 de uma semana atrás. Há um mês, a expectativa estava nos R$ 3,40. O câmbio médio de 2017 foi de R$ 3,28 para R$ 3,26, ante R$ 3,36 de um mês antes. 

 

No caso de 2018, a projeção para o câmbio no fim do ano foi de R$ 3,50 para R$ 3,49. Quatro semanas antes, estava em R$ 3,50. Já a projeção para o câmbio médio no próximo ano seguiu em R$ 3,44, ante R$ 3,45 de quatro semanas atrás. 

PIB.  Em meio à avaliação do Banco Central de que a atividade segue "aquém do esperado", o Relatório de Mercado Focus indicou leve mudança, para pior, nas projeções de atividade para 2017. A mediana para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano passou de alta de 0,49% para avanço de 0,48%. Há um mês, a perspectiva era de crescimento de 0,50%.

Para 2018, o mercado elevou a previsão de alta de 2,25% para 2,30%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,20%.

No último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado no fim de dezembro, o BC projetou recuo de 3,3% do PIB em 2016 e avanço de 0,8% para 2017. Já o Ministério da Fazenda trabalha com estimativa de crescimento de 1,0% para este ano.

No relatório Focus desta segunda, 13, as projeções para a produção industrial indicaram um cenário de leve recuperação neste e no próximo ano. O avanço projetado para 2017 seguiu em 1,00%. Há um mês, estava em no mesmo patamar. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial permaneceu em 2,05%, ante 2,10% de quatro semanas antes. No início do mês, o IBGE informou que a produção industrial fechou 2016 com recuo acumulado de 6,6% em relação a 2015.

Juros. Os economistas do mercado financeiro mantiveram suas projeções para a Selic no fim de 2017. O Relatório de Mercado Focus trouxe hoje que a mediana das previsões para a Selic este ano seguiu em 9,50% ao ano. Há um mês, estava em 9,75% ao ano.

O relatório indicou ainda que a mediana das projeções dos economistas para a Selic no fim de 2018 permaneceu em 9,00% ao ano. Há um mês, a projeção estava em 9,50%./COM REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.