Economize energia com iluminação

Em tempos de economia de energia, o consumidor deve estar atento às várias opções de redução no gasto com iluminação. A primeira medida é adequar o tipo de lâmpada utilizada em cada ambiente da residência, mas também há outras opções que não reduzem a luminosidade dos ambientes.Segundo o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Lâmpadas e Aparelhos de Iluminação (Abilux), Carlos Eduardo Uchôa Fagundes, a medida mais simples é reduzir a potência das lâmpadas incandescentes da casa. "Isso significa trocar lâmpadas incandescentes de 100 volts, por exemplo, por lâmpadas incandescentes de 60 volts, que proporcionará uma iluminação menor, mas, neste caso, reduzirá em 40% o consumo de energia", diz. Outra opção, segundo Fagundes, seria trocar as lâmpadas incandescente por fluorescentes, que consomem 80% menos de energia, em média. Além de consumir menos energia do que as incandescentes, as lâmpadas fluorescentes têm um tempo de vida útil bem maior. Segundo ele, as lâmpadas fluorescentes podem durar até 10 mil horas, enquanto as incandescente, duram, no máximo, 750 horas.Fagundes afirma que, para maior economia de energia, o ideal seria utilizar um conjunto de iluminação mais eficiente. Para tanto, é necessário trocar também a luminária tradicional por uma que utilize um reator eletrônico e um refletor de alumínio de auto brilho.Segundo ele, entre as lâmpadas fluorescentes, a mais econômicas é a tubular T5. Mas, de um modo geral, todas representam, em relação às incandescentes, 80% de economia de energia. A diferença fundamental entre os diversos tipos de lâmpadas fluorescentes é o formato. Veja, no link abaixo, recomendações para escolher o tipo mais adequado de iluminação para cada ambiente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.