Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

EcoRodovias vence disputa pela concessão da ponte Rio-Niterói

Companhia ofereceu a tarifa de R$ 3,28, um deságio de 36,67% em relação ao preço máximo do leilão

Luciana Collet, O Estado de S. Paulo

18 de março de 2015 | 10h20


A EcoRodovias ofereceu a tarifa de R$ 3,28442pela concessão da Ponte Rio-Niterói, o que corresponde a um deságio de 36,67% emrelação à tarifa máxima fixada no edital de R$ R$ 5,18620. Com a proposta, saiu como vencedora da disputa. 

O trecho concedido, com 13,2 quilômetros de extensão, fica na BR-101 entre o acesso àponte, em Niterói, e o entroncamento com a RJ-071, a Linha Vermelha. O contratode concessão terá duração de 30 anos e exigirá investimentos da ordem de R$ 1,3bilhão. 

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) realizou na manhã desta quarta-feira, 18, a sessão pública de abertura das propostas para a nova concessão da Ponte Presidente Costa e Silva, mais conhecida como Ponte Rio-Niterói, na BM&FBovespa, em São Paulo.

Seis grupos entregaram na última segunda-feira,16, as propostas econômicas escritas e os documentos de qualificação, juntamente com as garantias de proposta. São elas Ecorodovias Infraestrutura e Logística; Triunfo Participações e Investimentos (TPI); CS Brasil, controlada da JSL; Infra Bertin Participações, que tem o mesmo controle societário da ítalo-brasileira Atlantia Bertin Concessões (AB Concessões); além dos consórcios Ponte, formado pela CCR e sua controlada Companhia de Investimentos em Infraestrutura e Serviços (CIIS) e  Nova Guanabara (A. Madeira Indústria e Comércio, Coimex Empreendimentos e Participações, Urbesa Administração e Participações e Rio do Frade Empreendimentos).

A segunda melhor proposta foi do Consórcio Nova Guanabara, que propôs tarifa de R$ 3,35900, deságio de 35,23% em relação à tarifa-teto estabelecida. Já a Triunfo ficou com a terceira melhor proposta, de R$ 3,86999, desconto de 25,37%. A novata em leilões de rodovias JSL, que disputou o leilão por meio da controlada CS Brasil, ofereceu tarifa de R$ 4,07895, deságio de 21,34%. Inicialmente, o leiloeiro havia lido o número erradamente, o que havia indicado um deságio de apenas 7,64%, mas posteriormente a BM&FBovespa corrigiu a informação do lance em seu site. A Infra Bertin, parceria do grupo Bertin com o italiano Atlantia, ofereceu tarifa de R$ 4,14170, deságio de 20,13%.

Por fim, a CCR, que atualmente administra o trecho, ofereceu o menor deságio, de 18,20%, com uma tarifa sugerida de R$ 4,24230. O trecho a ser concedido, com 13,2 quilômetros de extensão, fica na BR-101 entre o acesso à ponte, em Niterói, e o entroncamento com a RJ-071, a Linha Vermelha. O contrato de concessão terá duração de 30 anos e exigirá investimentos da ordem de R$ 1,3 bilhão. 

Tudo o que sabemos sobre:
ponte Rio-Niterói

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.