Edemar Cid Ferreira diz que lutará por venda do Banco Santos

O controlador do Banco Santos, Edemar Cid Ferreira, defende a venda da instituição para sanar os problemas de liquidez que levaram à intervenção do Banco Central (BC) na última sexta-feira. Advogados reuniram-se duas vezes durante o feriado com Edemar, para tentar buscar uma solução para a capitalização do banco. "Vender o banco parece a hipótese natural", disse o advogado Ricardo Tepedino, do escritório Sergio Bermudes, que representa o banqueiro. "O problema do banco não é estrutural, é de liquidez. Patrimonialmente, ele não está quebrado."Para os advogados do banqueiro, "o próprio BC deve achar que a venda é a melhor solução, já que decretou intervenção e não a liquidação do banco". O BC determinou que o controlador injete R$ 700 milhões no banco para provisionar empréstimos que considera de recebimento duvidoso, diz Tepedino. Segundo ele, o BC vem exigindo do Banco Santos "uma provisão de créditos excessivamente rigorosa". Ele alega que há, por exemplo, "créditos bons que o BC mandou provisionar em 100%".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.