coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Edemar e dono da Daslu são transferidos para Tremembé

O ex-banqueiro Edemar Cid Ferreira e o diretor-financeiro da butique Daslu, Antônio Carlos Piva de Albuquerque foram transferidos hoje para a Penitenciária II de Tremembé. Cid Ferreira está preso preventivamente por suspeita de gestão fraudulenta na administração do Banco Santos. Albuquerque é acusado de formação de quadrilha, descaminho aéreo consumado (importação de produtos lícitos, mas de maneira irregular), descaminho aéreo tentado e falsidade ideológica. Ambos estavam no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Guarulhos, na Grande São Paulo. Em Tremembé, eles ficarão em cela comum e não receberão visitas. Apenas os advogados terão acesso.Ontem, o ministro Paulo Gallotti, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), rejeitou mais um pedido de liminar em habeas-corpus protocolado pelos advogados do ex-dono do Banco Santos com o objetivo de conseguir a sua libertação. Na semana passada, outro pedido da defesa do ex-banqueiro já havia sido rejeitado pelo ministro do STJ Hélio Quaglia Barbosa. Nas ações movidas no STJ, os advogados do Cid Ferreira argumentaram que não há motivos para que ele fique preso, pois compareceu a todos os atos para os quais foi convocado desde a abertura da ação penal.Além da libertação, eles pediam a suspensão da tramitação da ação penal. O ex-banqueiro foi preso preventivamente no final de maio por ordem do juiz Fausto Martin de Sanctis, da 6ª Vara Criminal. Albuquerque tabém não conseguiu sair da cadeia. Na sexta-feira, o desembargador Luiz Stefanini do Tribunal Regional Federal da 3ª Região negou o pedido de habeas corpus pedido pelo advogado Octávio Ramos.

Agencia Estado,

07 de junho de 2006 | 18h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.