VITOR JUBINI/ESTADÃO - 26/11/2021
VITOR JUBINI/ESTADÃO - 26/11/2021

Edital de privatização da Codesa, que opera portos no ES, é aprovado por agência do setor

Documento da desestatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa) agora deve ser publicado pelo governo após o sinal verde da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq)

Amanda Pupo, O Estado de S.Paulo

14 de janeiro de 2022 | 18h25

BRASÍLIA - A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) aprovou nesta sexta-feira, 14, o edital de privatização da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), liberando a publicação do documento, que deve ser feita na próxima semana pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Ministério da Infraestrutura. A Codesa hoje é responsável por administrar os Portos de Vitória e Barra do Riacho, no Espírito Santo

A previsão do governo é de fazer o leilão neste semestre, inaugurando a lista de privatizações portuárias, que conta com o Porto de Santos. Segundo a Antaq, a estimativa é de que sejam investidos R$ 1,3 bilhão na operação durante o contrato de 35 anos.

O Porto de Vitória tem um portfólio de cargas consolidado e uma posição favorável de acessos rodoviário e ferroviário, apontou a agência. Já o Porto Barra do Riacho é especializado no embarque de celulose.  

A empresa que arrematar os dois portos, além da outorga, precisará pagar uma taxa anual de fiscalização à Antaq de R$ 3,188 milhões. “Estou certo de que esse modelo trará um novo dinamismo para os portos organizados brasileiros, garantindo a essas instalações maior qualidade e eficiência de serviços", afirmou o diretor-geral da Antaq, Eduardo Nery.

Ainda segundo o órgão, é esperado que, até o fim de contrato de concessão do Porto de Vitória, seja registrado um crescimento de 85% para cargas de granel sólido mineral, alcançando 4,5 milhões de toneladas por ano; no caso de contêineres, crescimento de mais de 115%, atingindo 500 mil TEU ao ano; e alta de 115% no granel líquido, totalizando 1,8 milhão de toneladas por ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.