EDP nega perda significativa com revisão de tarifas de energia

A Electricidade de Portugal SA (EDP) disse ao longo do fim de semana que a decisão da Aneel de reduzir as tarifas cobradas pela Bandeirante Energia (controlada pela EDP) não representará prejuízo significativo para a companhia.A agência reguladora decidiu rever o reposicionamento tarifário provisório de 23 de outubro de 2003, reduzindo o índice da empresa de 18,08% para 10,51%. De acordo com o comunicado, a mudança ocorreu porque a agência reviu a base de remuneração utilizada anteriormente.Simultaneamente, pelos termos da resolução adicional, as tarifas da Bandeirante foram reajustadas, em média, em 11,4% para o período de 23 de outubro de 2004 a 22 de outubro de 2005, com índice aplicado sobre as tarifas atuais. A EDP garante que o efeito cumulativo das duas medidas não terá impacto material nos resultados do plano de negócios anunciado ao mercado em 2 de dezembro do ano passado. Decisão provisóriaO valor do reposicionamento, porém, é provisório, até que a Aneel valide o "Laudo de Avaliação da Base de Remuneração", entregue pela empresa e realizado por um avaliador independente, credenciado pelo órgão. Apesar disso, a EDP optou por contabilizar os efeitos retroativos da medida entre 23 de outubro de 2003 e 23 de outubro de 2004, no balanço do terceiro trimestre de 2004.O impacto da medida nos resultados da Bandeirante antes de impostos é estimado em R$ 104 milhões. O impacto total esperado no lucro líquido da EDP este ano é de R$ 66 milhões. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.