Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Eduardo Cury será relator da reforma da Previdência em comissão especial

Escolha é do próprio secretário da Previdência, Rogério Marinho; Rodrigo Maia havia indicado resistência

Naira Trindade, O Estado de S.Paulo

20 de março de 2019 | 22h18

BRASÍLIA - Em uma jogada ensaiada com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, vai oficializar nos próximos dias o nome do deputado Eduardo Cury (PSDB-SP) como relator da reforma da Previdência na comissão especial que trata o assunto na Câmara. Quando a proposta do ex-presidente Michel Temer estava em análise pela Câmara, ele não quis responder ao Placar do Estadão como votaria.

A escolha de Cury ao posto que ganhará muita relevância na Câmara nos próximos meses é do próprio secretário da Previdência, Rogério Marinho. Filiados ao PSDB, Marinho e Cury se aproximaram ainda na Câmara, onde trabalharam juntos os últimos quatro anos. Marinho escolheu Cury pelo eu perfil centrado e trabalhador. Na mesa de Marinho havia outros nomes com este mesmo perfil, como o Reinold Stephanes. Ao Estado, Marinho diz que essa não é uma pauta de partido político, mas de País e o nome escolhido tem de estar comprometido com a pauta". Ele não quis confirmar a escolha de Cury.

A aliados do Centrão, Rodrigo Maia havia demonstrado resistência em indicar o tucano à relatoria da PEC 6/2019. A ideia inicial de Maia era encontrar um nome de consenso dentro desse bloco que atuou unido durante a campanha presidencial. Dentre as principais opções deste grupo, estava o nome de Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

Depois de uma série de reuniões, Rodrigo Maia foi convencido por Marinho e Guedes a ceder. Aguinaldo, porém, passa a ser cotado para a cadeira de relator da proposta da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

Deputado reeleito, Cury foi prefeito de São José dos Campos (SP) por dois mandatos consecutivos, de 2005 a 2012. Lá, também  atuou como chefe de gabinete do então prefeito Emanoel Ernandes e secretário de Transportes (1997/2002). É formado em engenharia industrial mecânica.

Há três semanas cotado para assumir a relatoria da Previdência, Eduardo Cury já vinha estudando o texto da matéria. Ele terá nas mãos a missão de convencer os deputados a aprovar o texto que propor. Dentro do seu próprio partido, o PSDB, sabe que não tem maioria definida em torno do texto apresentado pelo governo. Cury, porém, já demonstrou a aliados estar disposto a iniciar o diálogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.