Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Eduardo Paes nega ironia à fala de Dilma sobre pré-sal

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), encaminhou nota à imprensa negando que tenha ironizado o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff sobre o leilão do pré-sal em sua participação em palestra na manhã desta terça-feira, 22. Em um fórum para empresários para discutir infraestrutura, o prefeito afirmou que "em 2013 algumas pessoas ainda fazem questão de dizer que não estão privatizando".

ANTONIO PITA, Agencia Estado

22 de outubro de 2013 | 19h28

Segundo o comunicado, a posição do prefeito era "questionar o absurdo de a presidente Dilma Rousseff ter que, no ano de 2013, defender-se de críticas" sobre privatizações em seu governo. Na avaliação do prefeito, esse tipo de discussão é "mais do que ultrapassada".

Na palestra, o prefeito afirmou que o Estado brasileiro é refratário a privatizações. "O discurso antiprivatista ainda resiste no Brasil de 2013, quando a gente vê pessoas fazendo questão de dizer que não estão privatizando ou negociando com o setor privado", disse.

Na noite passada, a presidente Dilma Rousseff fez um pronunciamento em cadeia nacional de rádio e televisão em que afirmou que o leilão da área de Libra, no pré-sal, "é diferente de privatização". O leilão foi alvo de críticas de movimentos sociais e de políticos de oposição que consideram o certame uma venda do petróleo nacional a empresas estrangeiras.

Tudo o que sabemos sobre:
pré-salleilãoEduardo Paes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.