Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

'Efeito Trump' não muda política de juros do BC, diz Ilan

Presidente do BC disse que as incertezas geradas após a eleição nos EUA serão solucionadas em breve

Fabrício de Castro e Fernando Nakagawa, O Estado de S.Paulo

16 Novembro 2016 | 13h10

O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, afirmou nesta quarta-feira, 16, que a política monetária no Brasil não muda com a eleição do presidente norte-americano, Donald Trump, bem como não acredita que a condução da política de juros dos países desenvolvidos possa mudar.

"A mensagem da última ata continua válida", disse, ao ser questionado sobre eventuais alterações nas perspectivas da política monetária brasileira após a eleição de Trump. Durante a conversa com a imprensa estrangeira, o presidente do BC mencionou duas vezes a mesma frase "a mensagem continua válida". 

Um dos argumentos citados por Goldfajn é que a instituição não prevê qualquer alteração de curtíssimo prazo. "Não esperamos qualquer mudança (na política monetária) de curto prazo nas economias desenvolvidas. O que eu espero é o que eu já esperava antes", disse, sem detalhar qualquer prognóstico para a trajetória, por exemplo, dos juros nos EUA. 

Sobre as incertezas geradas após a eleição nos EUA, o presidente do BC brasileiro citou que acredita que muitas perguntas dos investidores serão respondidas com certa brevidade. "Nós saberemos rapidamente o que vai acontecer. Isso vai levar algum tempo, mas não acredito que será uma espera longa. Isso vai aumentar o entendimento sobre o cenário", disse Goldfajn, sem citar o nome do novo presidente eleito dos EUA. 

Goldfajn participou hoje de uma teleconferência com a imprensa internacional. Veículos de comunicação do Brasil tiveram acesso ao áudio da conversa ao vivo, mas não puderam fazer perguntas.

(COM REUTERS)

Mais conteúdo sobre:
Ilan Goldfajn Brasil Donald Trump PEC União

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.