finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Efetivação de temporários foi menor em janeiro deste ano, diz IBGE

População ocupada recuou 1,6% em janeiro deste ano ante dezembro do ano passado, taxa maior do que a queda de 1% entre dezembro de 2009 e janeiro de 2010

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

24 de fevereiro de 2011 | 10h19

O mercado de trabalho em janeiro deste ano mostrou um "nível de efetivação menor" na comparação com janeiro de 2010, nas palavras do gerente da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE, Cimar Azeredo. Ele fez a avaliação ao comentar a evolução da população ocupada no primeiro mês deste ano, na comparação com igual mês do ano anterior.

Segundo ele, a população ocupada mostrou uma queda de 1,6% em janeiro deste ano ante dezembro do ano passado, o que refletiu, em parte, a dispensa de trabalhadores temporários no período. Este recuo representou 370 mil pessoas fora do mercado de trabalho, no período. No entanto, ao se analisar a evolução da população ocupada de dezembro de 2009 para janeiro de 2010, a queda na população ocupada, que ocorre costumeiramente devido à dispensa dos temporários, foi menos intensa, de 1%.

Na avaliação do especialista, ao se avaliar as duas quedas, é possível dizer que houve um ritmo de contratação maior dos temporários de dezembro de 2009 para janeiro de 2010 do que em dezembro de 2010 para janeiro de 2011.

Azeredo lembrou que o primeiro trimestre do ano passado apresentava uma economia mais aquecida, em recuperação após os efeitos negativos sofridos em 2009 devido à crise global. Ele não quis dizer, no entanto, se houve uma razão específica para este nível de efetivação menor. Na análise do especialista, é preciso esperar o término do primeiro trimestre e avaliar mais profundamente os resultados.

Mas ele não descartou a possibilidade de que a inflação e as novas expectativas que cercam um novo governo possam ter influenciado este resultado. Porém, preferiu não tecer especulações. "Vamos aguardar para ver. Mas este menor ritmo no nível de efetivação não preocupa. Isso porque outros indicadores que interessam no mercado de trabalho, como emprego com carteira assinada e rendimento, continuam bastante favoráveis em janeiro", afirmou. 

Formalização

Mesmo com o recuo da população ocupada no mercado de trabalho (de -1,6% em janeiro deste ano contra dezembro de 2010), o porcentual de empregados com carteira assinada no setor privado dentro população ocupada manteve trajetória crescente, e subiu de 47% para 47,4% de dezembro para janeiro.

Para o gerente da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) Cimar Azeredo isso significa que, apesar do recuo na população ocupada no mercado de trabalho, a trajetória da formalização continua crescente no País. "Creio que é importante destacar que o recuo na população ocupada não representou uma interrupção na trajetória de crescimento da formalização no mercado de trabalho", ressaltou.

Tudo o que sabemos sobre:
temporáriosefetivaçãojaneiroibge

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.