Egípcio quer Telecom Italia maior no Brasil

Naguib Sawiris fez oferta bilionária para entrar no capital do grupo italiano, mas proposta não agrada atuais acionistas

DUBAI, O Estado de S.Paulo

28 de novembro de 2012 | 02h10

O empresário egípcio Naguib Sawiris pretende reestruturar a Telecom Italia e prepará-la para crescer no Brasil, caso os acionistas da controladora da TIM aceitem o aumento de capital de 3 bilhões (US$ 3,9 bilhões) proposto por ele. Sawiris, que chegou a ser dono da Wind, terceira maior operadora móvel da Itália, pode se tornar um dos maiores acionistas da companhia com o aumento de capital.

São poucos os detalhes de que se tem conhecimento, mas o empresário disse ter proposto que o aumento de capital esteja aberto a todos os acionistas, e não só a ele, e que a operação deve ser conduzida com o atual preço de mercado, 0,70 por ação.

Isso não deve agradar os demais acionistas da Telecom Italia, entre eles a Telefónica e três instituições financeiras italianas que, juntas, detêm 22,4% do grupo, por meio da holding Telco, que não é listada em bolsa. Esses acionistas avaliam a controladora da TIM em 1,50 por ação. Na segunda-feira, a Findim Group, que tem 5% da empresa, disse que 1,50 é o "preço justo" para um aumento de capital.

Sawiris, contrariando a tendência de desinvestimento no sul da Europa por causa da crise, poderá convocar seus antigos sócios na Wind para fazer a Telecom Italia voltar a crescer. "Esta proposta dará estrutura financeira mais estável, maior crescimento na América Latina e no Brasil, e melhor gestão com a entrada de pessoas que conhecem bem o mercado italiano", afirmou.

Sawiris procurou a Telefónica e os outros acionistas da Telco sobre um possível aumento de capital na holding, mas, diante da recusa, procurou diretamente o grupo italiano./ REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.