Eike perderia R$ 2 bi caso exigisse subscrição

Ações da OGX estão 10% abaixo do valor correspondente à data de início da operação 

Sabrina Valle, da Agência Estado,

01 de julho de 2013 | 13h48

RIO - O empresário Eike Batista poderia perder o equivalente a R$ 2 bilhões caso exercesse, nesta segunda-feira, 1, a promessa de subscrever novas ações ordinárias de emissão da OGX até o valor de US$ 1 bilhão (ou R$ 2,24 bilhões, considerando o dólar a R$ 2,24) - leia o 'Para entender', logo abaixo.

Eike, como controlador da empresa, ofereceu, em 24 de outubro passado, o direito da OGX de exigir a subscrição ("put") de até US$ 1 bilhão em novas ações ordinárias, a R$ 6,30 por ação. Foi uma forma de prometer injeção de caixa na companhia, apostando na valorização das cotações.

No entanto, nesta segunda-feira, as ações estão a menos de 10% deste valor. Os papéis abriram os negócios a R$ 0,58 por papel e, ao meio-dia, estavam sendo negociados a R$ 0,56.

Com isso, caso exercesse o direito hoje, injetando R$ 2,24 bilhões, o empresário poderia perder R$ 2,034 bilhões, levando-se em conta a ação a R$ 0,58.

A simulação é hipotética.

No documento em que divulgou a aposta, o controlador disse que a opção poderá "ser exercida a qualquer momento até 30 de abril de 2014". Disse também que "está condicionada à necessidade de capital social adicional da companhia e a ausência de alternativas mais favoráveis, condições estas que serão determinadas pela maioria dos membros independentes do Conselho de Administração da Companhia".

No fato relevante divulgado nesta segunda, a OGX esvazia ainda mais o caixa da empresa. O documento diz que "a companhia possui sólida posição financeira", com cerca de US$ 1,15 bilhão para investimentos em exploração, produção e novos negócios. Mas o valor se refere a março de 2013.

No mesmo documento, a OGX se compromete com desembolso imediato de caixa para a OSX no valor aproximado de US$ 449 milhões.

Em maio, a OGX reservou R$ 376 milhões para compra de blocos do leilão de áreas exploratórias realizada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

"Não há muito mais o que agregar", disse um analista, ao pedir anonimato sobre análise da empresa.

Para entender. A subscrição é a emissão de novas ações por uma empresa em que os recursos captados devem ser usados para investimentos. O direito de subscrição determina a preferência que o acionista (neste caso, Eike Batista) de uma empresa (a OGX) possui na compra de ações emitidas para o aumento do capital (o que foi feito em 24 de outubro) e com preço inferior ao praticado pelo mercado.

O exercício da subscrição deve ser feito em prazo determinado. A quantidade de ações a serem subscritas é proporcional ao número de ações já possuídas pelos acionistas. Embora o direito de subscrição seja reservado aos acionistas da empresa, ele pode ser negociado em bolsas de valores.

Tudo o que sabemos sobre:
eike batistaeikeogx

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.