El Niño deve se desenvolver em setembro e outubro--órgão da ONU

O El Niño, fenômeno climático normalmente associado a mudanças significativas nos padrões de chuvas, deve se desenvolver neste mês e no próximo no Pacífico, afetando o tempo no mundo, disse a Organização Mundial de Meteorologia (OMM), da ONU, nesta terça-feira.

Reuters

25 de setembro de 2012 | 13h47

O fenômeno, caracterizado por temperaturas oceânicas mais elevadas no Pacífico, tem sido relacionado às condições de clima mais seco que o normal na Austrália, Indonésia, Filipinas, nordeste do Brasil, sudeste da África e partes da Ásia, disse a agência das Nações Unidas. Mas ele também traz chuvas para áreas do Sul do Brasil.

"Um fraco El Niño pode se desenvolver em setembro e outubro e durar até o inverno do hemisfério norte", disse a OMM em comunicado.

O El Niño também é associado com condições de clima mais úmido que o normal no Equador, norte do Peru, Sul do Brasil ao centro da Argentina e partes do leste da África, disse.

Especialistas acreditam que a safra de verão do Brasil poderá ser beneficiada pelo fenômeno.

Invernos com El Niño tendem a ser mais amenos no oeste do Canadá e partes dos Estados Unidos e chuvoso ao sul dos EUA, disse.

A La Niña, fenômeno oposto que provoca um resfriamento anormal das águas, terminou em abril.

A atualização da OMM é baseada em diferentes modelos climáticos de previsão reunidos de centros ao redor do mundo.

"A maioria dos modelos de previsão climática diz que há uma 'probabilidade moderadamente alta' de um El Niño. Dito isto, não se pode excluir que condições neutras podem continuar", disse a porta-voz da OMM, Clare Nullis, em entrevista coletiva.

A OMM, baseada em Genebra, promove a cooperação entre seus 189 países-membros e seus serviços meteorológicos e hidrológicos e é a voz do sistema das Nações Unidas sobre tempo, clima e água.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSELNINO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.