El Paso mantém compromissos no Brasil

A norte-americana El Paso informou, por meio de nota à imprensa, que "continua comprometida com seus negócios no Brasil", apesar das investigações sobre supostas irregularidades contábeis que estão sendo conduzidas nos Estados Unidos. Os executivos da empresa evitaram comentar diretamente o assunto.A El Paso está sendo acusada por um acionista, Oscar S. Wyatt Jr., ex-presidente da Coastal, absorvida pela companhia, de utilizar parcerias para manter dívidas fora de seus balanços.Na nota, a empresa destacou que "está cooperando com as investigações de suas operações de comercialização de gás nos Estados Unidos e que não foi encontrada qualquer evidência de mau procedimento".Em novembro do ano passado, o vice-presidente de desenvolvimento de projetos da empresa no Brasil, Eduardo Karrer, havia anunciado que a El Paso pretendia investir US$ 4,8 bilhões até 2005. Até então, a empresa havia investido US$ 1 bilhão e pretendia concluir a aplicação de mais US$ 800 milhões até o fim de 2001.A empresa destacou-se, durante a crise energética, por manter um discurso otimista em relação às oportunidades de negócios no País, em meio a protestos de grandes companhias por conta de perdas causadas pelo racionamento.El Paso possui usinas termelétricas em Manaus (AM) e é dona da termelétrica Macaé Merchant, com 350 megawatts (MW) de capacidade inicial, entre outras posições no mercado brasileiro.

Agencia Estado,

25 de julho de 2002 | 19h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.