R$ 1,57 bi

E-Investidor: Tesouro Direto atrai mais jovens e bate recorde de captação

''Ele não teria a ousadia de dizer isso numa assembleia''

A recomendação do presidente Lula para que os trabalhadores ajudem as empresas a sair da crise, em vez de pedir aumento de salários, foi duramente criticada por sindicalistas. "Ele não teria a ousadia de dizer isso numa assembleia de metalúrgicos do ABC, no tempo em que era sindicalista", disse Antonio Carlos Spis, primeiro tesoureiro da Central Única dos Trabalhadores (CUT).Na avaliação de Spis, o conselho do presidente é "absurdo", porque, segundo ele, as empresas nunca chamam os sindicalistas para discutir quando têm lucro. "Agora, na hora do prejuízo vamos ter que nos apresentar para salvar a empresa?"Para o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, a recomendação é incoerente com a vida de Lula. "Quando era presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo, Lula nos ensinou que mais salários significa mais dinheiro para as pessoas comprarem, o que faz as lojas venderem mais, as fábricas produzirem mais e o País crescer", disse. "Ou ele desaprendeu ou nós fomos ensinados errado." Paulinho afirmou que os sindicatos da Força Sindical vão continuar s brigar por aumentos reais de salários. Com data-base em 1º de maio, os 300 mil trabalhadores da construção civil de São Paulo querem que os salários sejam reajustados em 5,5%, além da reposição das perdas com a inflação. E já marcaram greve para o dia 27 do mês que vem. "Patrão e governo são iguais a galo velho, só amaciam na pressão", diz Antônio de Sousa Ramalho, presidente do sindicato da categoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.