''Ele poderia reduzir a contribuição ao INSS''

Para economista, governo continua sendo capturado pelos grupos de interesse que têm mais poder de pressão política

Fernando Dantas, O Estadao de S.Paulo

30 de junho de 2009 | 00h00

Para o economista Alexandre Marinis, da Mosaico Economia Política, a melhor desoneração é a da folha de salários.O que o sr. acha da política de desonerações setoriais?Bem, por um lado, essa crise está provando que a carga tributária amarra o crescimento da economia brasileiras. Percebe-se claramente que, com algumas reduções pontuais de tributação, consegue-se de fato estimular o consumidor a comprar. Isso aconteceu no automóvel, na linha branca e mostra que, de fato, o peso da carga tributária brasileira é aviltante.Mas essa é a melhor política?Não, acho que o governo continua sendo capturado pelos grupos de interesse que têm poder de pressão política mais forte. Será que não seria melhor reduzir a tributação como um todo, paga por todos os trabalhadores assalariados? Assim, deixa-se mais dinheiro no bolso do trabalhador para aumentar o consumo. O próprio presidente Lula disse que é melhor R$ 1 a mais no bolso do pobre, porque vira consumo de fato, enquanto R$ 1 no bolso do rico não estimula a economia de imediato. O Lula reclama dos empresários para os quais cedeu, por causa da pressão política. Se a desoneração não foi repassada, então desonera o consumidor final.Como isso poderia ser feito?Ele poderia reduzir a contribuição previdenciária do trabalhador para o INSS, ou desonerar o IR - seria desoneração na veia para o assalariado E o que o sr. acha da escolha dos bens de capital dessa vez?Quem vai investir com toda essa capacidade ociosa?

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.