Eleições na Argentina dependem do Congresso, diz Duhalde

O presidente Eduardo Duhalde admitiu hoje que as eleições de 30 de março correm risco de não se realizar. Segundo ele, o Congresso Nacional, em assembléia conjunta entre Senado e Câmara dos Deputados, ?tem que dar a solução e terminar com esta incerteza". Para tanto, o presidente disse que pedirá que aceitem sua renúncia a partir de 25 de maio, data que ele havia previsto para que o novo presidente eleito em março assuma o cargo. Duhalde considera que esta é única forma de " terminar com a incerteza e as especulações". Duhalde deixou nas mãos do Legislativo a decisão de se confirmar as eleições presidenciais que ele havia convocado para março de 2003, marcar uma nova data ou ainda manter o calendário original para outubro do ano que vem. O presidente culpou a justiça por ter provocado as alterações no calendário eleitoral. Ele explicou que as sentenças judiciais que suspenderam as eleições internas dos partidos para escolherem seus candidatos complicaram o panorama. Segundo o presidente, poderiam haver mais problemas porque a Justiça tem outros pronunciamentos sobre o assunto em estudo. Eduardo Duhalde afirmou que a Assembléia Legislativa tem obrigação de aceitar sua renúncia. ?Eles devem respeitar a população, dando ao Executivo os instrumentos: revogar ou suspender a lei da Justiça, e dizer aos partidos quando apresentar seus candidatos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.