Eles já aprenderam para que serve o despachante

Alemães ganham dinheiro ajudando empresas estrangeiras a lidar com a burocracia no País

Fernando Scheller, de O Estado de S. Paulo,

30 Outubro 2011 | 18h29

Des-pa-chan-te. É assim, sílaba por sílaba e com dificuldade, que Christian Weiss, diretor geral da Rocket Internet, pronuncia a palavra que os empreendedores alemães do setor de internet costumam usar para resumir a burocracia brasileira. É justamente na redução dessas dificuldades que se baseia o negócio da Allpago, empresa que se vende no mercado alemão como uma "facilitadora" de negócios no Brasil.

Por uma comissão, a companhia ajuda negócios alemães de internet a montar uma estrutura legal, coletar dinheiro e pagar impostos de acordo com as leis nacionais. Se necessário, a Allpago até gerencia os negócios interinamente. O conhecimento sobre o mercado brasileiro de Phillipp Bock, sócio do empreendimento, foi adquirido desde a infância - ele morou no Brasil dos 7 aos 14 anos de idade e mais tarde trabalhou no País. "Nem todo mundo sabe que metade dos cartões de crédito brasileiros pode ser usada somente em território nacional. É preciso ter o boleto bancário para não perder vendas."

Um dos negócios que Bock ajudou a fundar no Brasil foi a MT Performance. Enquanto os donos da empresa não conseguem o visto de trabalho, ele faz o papel de gerente geral da companhia. A empresa aposta todas as fichas no mercado brasileiro, com a meta de direcionar tráfego para os sites de comércio eletrônico do País. Os fundadores da companhia, Benedikt Franke e Philip Huffmann, já têm mais de 200 domínios na internet brasileira - e criam conteúdos específicos para cada um deles.

A MT compra domínios genéricos - "calçados", "sapatos", "noivas" e "cachecol", por exemplo -, que são transformados em sites. Os produtos dos clientes da empresa, entre eles as lojas de sapatos online Dafiti e Passarela, são associados a conteúdos. Assim, os clientes veem as mercadorias mesmo quando não estão na web para fazer compras.

A equipe da companhia, que tem atualmente 65 pessoas, sendo 20 brasileiros, trabalha toda em Berlim. Esse pessoal edita o conteúdo de moda escrito por blogueiros associados. Para ganhar mais acessos, a ordem é aumentar o número de websites da MT para 700 domínios brasileiros em 2012. A empresa também montará um pequeno escritório no Brasil no ano que vem.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.