Elétricas perdem R$ 1 bilhão com decisão do governo

A prorrogação do repasse das variações cambiais de custos das distribuidoras para as tarifas de energia deverá provocar um impacto de R$ 1 bilhão no caixa das empresas neste ano. O cálculo é do diretor-presidente da Câmara Brasileira de Investidores em Energia Elétrica (CBIEE), Cláudio Salles, que se reuniu hoje com a ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, para discutir as medidas adotadas nessa semana pelo governo.A CBIEE calcula que, antes da criação pelo governo federal de um instrumento que permitisse o repasse para as tarifas de custos não-gerenciáveis das distribuidoras, no final do racionamento em energia, as empresas do setor já haviam absorvido, desde o início do processo de privatização, custos estimados em R$ 6 bilhões. "Com essa medida, as despesas de terceiros contidas nas tarifas serão arcadas pelas distribuidoras", disse Salles.Segundo o executivo, o governo também decidiu parcelar em 24 parcelas a transferência para as tarifas dos custos em dólar. Outro problema é que passa a haver uma distinção na aplicação desse mecanismo de repasse que as empresas do setor elétrico consideram injusta. "O mecanismo permite um aumento de tarifa quando o dólar sobe, mas permite também um desconto quando a moeda norte-americana cai", disse Salles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.