Eletrobras diz que é cedo para falar em racionamento

O presidente da Eletrobras, José da Costa Carvalho Neto, disse nesta quarta-feira, 14, que ainda é cedo para se falar em racionamento de energia, apesar da situação hidrológica do País e do baixo nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas. "A falta de chuva é conjuntural. A probabilidade de racionamento ainda não é alta, mas economia de energia é sempre importante", afirmou, em audiência pública na Comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara dos Deputados.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

14 de maio de 2014 | 13h49

Carvalho Neto admitiu que as tarifas de energia devem continuar subindo nesse e no próximo ano para cobrir o alto custo da energia térmica, mas reforçou que esse aumento se dá sobre uma base menor de custo para os consumidores, após o pacote de renovação das concessões, que culminou com um desconto de 20% nas contas de luz no começo de 2013. "Esse reajuste conjuntural nas faturas seria muito maior se não houvesse uma redução estrutural nas tarifas desde o ano passado", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
energiaEletrobrasracionamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.