Wilton Junior|Estadão
Wilton Junior|Estadão

Eletrobrás está em situação difícil, afirma ministro

Fernando Coelho Filho, de Minas e Energia, afirma que estatal estava em vias de ser deslistada da Bolsa de Nova York por não haver apresentado balanços de 2014 e 2015

Lu Aiko Otta, O Estado de S.Paulo

02 Setembro 2017 | 01h03

BRASÍLIA - A Eletrobrás teve perda próxima a “duas dezenas de bilhões de reais” com sua participação nas usinas hidrelétricas de Jirau, Santo Antônio e Belo Monte. É o que escreveu o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, em carta enviada aos deputados para explicar a proposta de privatização da estatal.

No longo documento, o ministro descreve a difícil situação em que encontrou a empresa, as providências tomadas para contorná-la e informa que, mesmo assim, persistem problemas graves que acabam pesando sobre os contribuintes.

O ministro diz que, em maio de 2016, a Eletrobrás estava em vias de ser deslistada da Bolsa de Nova York por não haver apresentado balanços de 2014 e 2015. Em três anos, a empresa havia acumulado prejuízo de R$ 34 bilhões e perdera 40% de seu patrimônio líquido.

A nova gestão da estatal, contou o ministro, elaborou um relatório que aponta algumas causas principais para a situação. A holding e suas controladas administram participações em 170 Sociedades de Propósito Específico (SPEs) “com taxas de retorno inferiores ao custo de capital próprio da Eletrobrás.”

++ Ineficiência faz Eletrobrás desperdiçar R$ 85 bi em 15 anos

Além disso, a companhia acumulava dívidas equivalente a nove vezes seu Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações).

Mais conteúdo sobre:
privatização Eletrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.