Eletrobrás registra queda de 78,5% no lucro no 3º trimestre

Faturamento ficou em R$ 450 milhões; de janeiro a setembro, estatal acumula prejuízo de R$ 1,53 bilhão

Reuters

14 de novembro de 2009 | 10h48

A Eletrobrás registrou lucro de R$ 453,8 milhões no terceiro trimestre de 2009, uma queda de 78,5% ante ganho de R$ 2,1 bilhões em igual período do ano passado, informou na noite da sexta-feira, 13, a empresa estatal de energia elétrica.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) somou R$ 3,8 bilhões no trimestre, frente a R$ 4,4 bilhões um ano antes.

A receita operacional da estatal registrou elevação no período, para R$ 3,12 bilhões, contra R$ 2,29 bilhões no terceiro trimestre do ano passado. A companhia acumula de janeiro a setembro um prejuízo de R$ 1,53 bilhão. Em igual período do ano passado havia registrado lucro de R$ 2,1 bilhões.

"O resultado líquido dos nove primeiros meses de 2009 foi influenciado pelo reconhecimento da redução do ativo regulatório líquido já deduzido das obrigações indicada na rubrica do passivo "Créditos do Tesouro Nacional", decorrente da comercialização da energia de Itaipu", disse a Eletrobrás em comunicado.

"Nos nove primeiros meses de 2009 foi reconhecida uma perda líquida de 1,01 bilhão", acrescentou a empresa. Além da questão da comercialização da energia de Itaipu, a Eletrobrás também citou efeito cambial negativo.

"A desvalorização do dólar em relação ao real e o fato de a Eletrobrás deter relevante parcela de seus recebíveis (20,7 bilhões de reais) indexados à moeda estrangeira, produziram efeito negativo no resultado da companhia nos nove primeiros meses de 2009", informou. "Neste período de nove meses a Eletrobrás registrou uma despesa líquida de 4,36 bilhões decorrente da variação cambial, sendo 1,25 bilhão no terceiro trimestre", completou o documento

Controlada pelo governo brasileiro, a Eletrobrás atua nas áreas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, gerindo um sistema com 12 subsidiárias, uma empresa de participações (Eletropar) e metade do capital da Itaipu Binacional.

 

(Com informações de Marcelo Teixeira)

Tudo o que sabemos sobre:
energiaEletrobráseconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.