Wilton Junior|Estadão
Wilton Junior|Estadão

Eletrobrás vai assinar com chineses memorando para cooperação no setor nuclear

De acordo com a estatal, a parceria aprofunda a cooperação bilateral para uso da energia nuclear para fins pacíficos, destacando os interesses comuns em estabelecer futura parceria para conclusão de Angra 3

Fátima Laranjeira, Broadcast

28 Agosto 2017 | 19h45

A Eletrobrás, a Eletronuclear e a China National Nuclear Corporation (CNNC) assinarão no dia 1º de setembro, em Pequim, um memorando de entendimento (MOU) de cooperação do setor nuclear envolvendo o Brasil e a China.

"O memorando cria a oportunidade de um aprofundamento da cooperação bilateral para uso da energia nuclear para fins pacíficos, destacando os interesses comuns em estabelecer futura parceria para conclusão de Angra 3", diz a empresa, em comunicado.

A assinatura terá a presença do presidente da República, Michel Temer, do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, do chefe da Superintendência Internacional da Eletrobrás, Pedro Luiz de Oliveira Jatobá, representando o presidente da companhia, Wilson Ferreira Junior, e do presidente da Eletronuclear, Bruno Campos Barretto.

"Com isso, os dois países reafirmam a importância do papel da energia nuclear na composição da matriz elétrica e na redução das emissões de gases de efeito estufa, levando em consideração a competitividade econômica deste tipo de energia", afirma a Eletrobras.

Este será o terceiro MOU assinado entre a Eletronuclear e a CNNC. Durante a visita do primeiro ministro chinês ao Brasil, em 2015, foi firmado um memorando entre a Eletrobrás, a Eletronuclear e a CNNC, visando à cooperação em temas do setor nuclear. Em dezembro de 2016, o presidente da Eletronuclear, Bruno Barretto, esteve em Pequim para reuniões com a CNNC e bancos chineses - potenciais financiadores da conclusão de Angra 3, segundo a Eletrobrás. Nesta visita, foi firmado um MOU bilateral entre a Eletronuclear e a CNNC para pautar a cooperação na retomada das obras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.