Eletroeletrônicos devem fechar ano com déficit

O setor eletroeletrônico brasileiro deverá fechar 2002 com um déficit na balança comercial de cerca de US$ 8 bilhões, principalmente por conta da grande importação de componentes ativos, como chips e processadores, segundo afirmou hoje o presidente da Abinee, Carlos de Paiva Lopes. No ano passado, o déficit foi semelhante ao projetado para 2002: US$ 7,9 bilhões.Historicamente o setor é deficitário, até porque não há fabricantes locais desses componentes. " O grande vilão da balança do setor este ano serão esses componentes", afirmou Paiva Lopes, que participa de reunião com o comissário de comércio da União Européia, Pascal Lamy, em São Paulo.O setor também importa equipamentos para usinas térmicas hidrelétricas, entre outros, que também pesam na balança comercial. Apesar do déficit, Paiva Lopes acredita que o setor terá um crescimento de 10% a 12% neste ano. "Os segmentos de energia, componentes e partes e peças devem ter um bom ano" disse. O setor de telecomunicações deve ter um recuo de 50% em 2002 na comparação com o ano passado, segundo ele. Paiva Lopes acredita que o segmento terá um bom crescimento devido à queda nos juros, ao dólar estável e a contenção da inflação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.