Eletropaulo deve receber US$ 330 mi do BNDES

A vice-presidente da AES Eletropaulo, Andrea Ruschmann, disse que a empresa deve receber cerca de US$ 330 milhões do BNDES, referentes às perdas de receitas ocorridas no período do racionamento. Segundo ela, a liberação dos recursos ocorrerá em duas parcelas. A primeira, e maior, está prevista para meados de agosto, de acordo com a executiva. Todos os recursos vindos do BNDES serão utilizados pela companhia para pagar as dívidas que vencem neste ano.Ruschmann afirmou que a companhia já tentou várias operações de refinanciamento neste ano, que fracassaram devido à volatilidade dos mercados. "A instabilidade no cenário internacional dificulta o acesso aos recursos", disse. Segundo ela, o rebaixamento do rating da empresa pelas agências de classificação de risco mostra uma cautela normal para o momento do mercado. "O rebaixamento não é algo que ajude a empresa no processo, mas é natural." Andrea disse que nenhuma das agências questiona a viabilidade da empresa e a solidez da geração de caixa. Ela ainda destacou que o volume total de dívida da Eletropaulo é aceitável, sendo que o problema é a concentração de vencimentos no curto prazo. Além de buscar novas operações de crédito no Brasil e no exterior, a empresa está negociando com os credores o alongamento dos prazos dos empréstimos atuais. "Com isso, buscamos evitar a inadimplência."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.