Eletropaulo está entre as dez piores, diz pesquisa

A Eletropaulo, distribuidora de energia da região metropolitana de São Paulo, está entre as dez concessionárias que obtiveram pior avaliação na terceira pesquisa anual sobre a satisfação do consumidor de energia, divulgada hoje pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A Eletropaulo obteve índice de avaliação de 58,07 pontos, bem abaixo da média nacional (64,51 pontos) e da pontuação da primeira colocada, a concessionária Departamento Municipal de Eletricidade de Poços de Caldas (DME/PC), em Minas Gerais, que obteve índice de 77,23.A Eletropaulo ficou na 57ª colocação geral entre as 64 empresas e, na região Sudeste, foi a que teve a pior avaliação. Entre as 14 empresas de grande porte, a Eletropaulo é a 13ª, na frente apenas da Celg, de Goiás. Das demais concessionárias de São Paulo, duas ficaram acima da média nacional, considerada razoável pela Aneel - a Elektro, com 67,71 pontos, e a CPFL, com 66,69. A Bandeirante ficou abaixo da média nacional, com 62,52 pontos.Entre as dez melhores distribuidoras de energia no ranking de satisfação dos clientes em relação aos serviços prestados, apenas duas são consideradas de grande porte: a Celesc, de Santa Catarina, e a Cemig, de Minas Gerais. A Celesc ficou em sétimo lugar, com 73,45 pontos, e a Cemig ocupou a décima colocação, com 71,13 pontos.As empresas estatais continuam a ter melhor desempenho que as empresas privadas, a exemplo do que já havia sido mostrado nas duas pesquisas anteriores. Na pesquisa Índice Aneel de Satisfação do Consumidor (IASC) 2002, as distribuidoras estatais obtiveram índice de 68,29 pontos, ante 63,19 pontos das privadas.Na pesquisa são considerados 17 itens, como por exemplo a segurança quanto ao valor cobrado na conta de luz, informações sobre riscos associados ao uso da energia, detalhamento da conta, pontualidade na prestação de serviço, cordialidade no atendimento, facilidade de acesso aos postos de atendimento, fornecimento de energia sem interrupção, rapidez em restabelecer as quedas de energia e aviso antecipado de corte de luz.IntervençãoO diretor-geral da Aneel, José Mário Abdo, disse que "até o momento não é indicada a intervenção na Eletropaulo", que vem enfrentando dificuldades financeiras. Segundo ele, a Aneel manterá uma vigilância permanente. A agência tem competência para intervir em distribuidoras cuja situação econômica e financeira possa ter reflexos na deterioração da prestação de serviços, causando risco de queda no fornecimento de energia aos seus clientes.Quanto às eventuais medidas que possam resolver a situação financeira da Eletropaulo, Abdo disse que este é um processo que deve ser conduzido pelo Poder Executivo. Ele afirmou que a agência vem fazendo uma fiscalização permanente não só na Eletropaulo, como em todas as empresas do setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.