finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Eletropaulo não será reestatizada, garante o governo

O ministro interino de Minas e Energia, Maurício Tolmasquim, garantiu nesta terça-feira que o acordo do BNDES com o grupo norte-americano AES não pode ser considerado uma reestatização da Eletropaulo, uma vez que a AES continua sendo controladora da distribuidora de energia paulista.O diretor financeiro do BNDES, Roberto Timótheo da Costa, informou que banco não irá manter o controle da empresa. "Caso isso ocorra, faremos novo leilão de privatização", garantiu. O ministro interino avaliou que o BNDES se capitalizou e passou a ser sócio de uma empresa que tem um dos maiores faturamentos do País. Segundo o ministro interino, havia o temor de que a situação financeira da AES se tornasse um problema de abastecimento, principalmente com a chegada do verão.Tolmasquim negou que o BNDES esteja agindo como hospital de empresas. "Para o BNDES, pode ser positivo, já que está saindo de uma situação de perda para aquisição de um ativo", afirmou. Ele disse que o ministério "está tranqüilo" com o acordo. Tolmasquim disse esperar que a empresa possa agora fazer os investimentos necessários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.