seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Eletropaulo tem pior avaliação entre 14 fornecedoras de energia

A Eletropaulo, distribuidora que atende 24 municípios do Estado de São Paulo, entre eles a capital paulista, obteve de seus clientes a pior avaliação entre o grupo de 14 empresas de fornecimento de energia de grande porte de todo o País. A Bandeirante, outra distribuidora paulista, também teve uma avaliação pior do que em 2000. A avaliação faz parte de uma pesquisa de satisfação do consumidor, realizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e divuilgada hoje pelo diretor-geral da Agência, José Mário Abdo. No Índice Aneel de Satisfação do Consumidor (IASC) - que utiliza uma escala de zero a 100 - a Eletropaulo caiu de 63,35, em 2000, para 54,44 em 2001 e a Bandeirante, de 67,16 para 63,55. Já a Electro e a CPFL tiveram melhor avaliação, ficando respectivamente em quarto e quinto lugares entre as 14 empresas de grande porte. Os 300 consumidores da Eletropaulo ouvidos na pesquisa, no período de 15 de novembro a 30 de dezebro do ano passado, não avaliaram bem a empresa nos seguintes itens: atendimento igualitário a todos os consumidores, detalhamento das contas de luz, facilidade de acesso aos postos de pagamento de contas, respostas rápidas às solicitações, fornecimento de energia sem interrupção, fornecimento de energia sem variação de voltagem e avisos antecipados sobre cortes de energia. Abdo anunciou que antecipará para o primeiro semestre deste ano a fiscalização nas empresas mal avaliadas que estava prevista para o segundo semestre. No caso da Eletropaulo, esta fiscalização será feita até junho. Índice médio de 63,22O grau de satisfação dos consumidores residenciais com o serviço das 64 distribuidoras de energia elétrica existentes no País, no ano passado, atingiu índice médio de 63,22, numa escala de zero a 100, de acordo com uma pesquisa realizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica. A avaliação da qualidade dos serviços foi praticamente a mesma registrada no ano anterior. Segundo José Mário Abdo, o resultado da pesquisa mostra que as empresas precisam melhorar o serviço prestado. A Aneel ouviu 19.200 consumidores residenciais em todo o País, numa média de 300 entrevistados por cada distribuidora. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Voz Populi entre 15 de novembro e 30 de dezembro passados. Segundo avaliação da Aneel, se comparados os índices nacionais com as referências internacionais, a satisfação em relação aos serviços prestados pelas distribuidoras está abaixo do que pode ser considerado um bom desempenho. Nos Estados Unidos, por exemplo, o índice de satisfação médio é de 69 e, na Europa, de 70, também numa escala de zero a 100. Entre as 14 empresas de grande porte que atendem a mais de um milhão de consumidores, a que obteve a melhor avaliação foi a Companhia Paranaense de Energia (Copel), com 70,95, seguida da Selesc, de Santa Catarina, com 70,3, e da Cemig, de Minas Gerais, com 69,74. Do grupo de todas as 64, a empresa que obteve a melhor avaliação, com índice de 77,45, foi a Força e Luz Coronel Vivida, que atende 5.200 unidades consumidoras no município de Coronel Vivida, no Paraná. Do total, 42 ficaram com índice acima da média nacional e 22, abaixo dele. Na Região Sudeste, as empresas acompanharam a média nacional, apresentando índice médio de 63,65. Das 22 empresas da região, 17 ficaram com índice acima da média nacional.

Agencia Estado,

20 de março de 2002 | 17h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.