Em 9 anos, marca de carro de luxo Pagani vale 100 mi de euros

Um dos carros produzidos pela marca chegou ao Brasil nesta terça e será vendido por R$ 4 milhões

Cleide Silva, de O Estado de S. Paulo,

29 de abril de 2008 | 17h18

Aos 10 anos, o argentino Horacio Pagani desenhava carrinhos no papel e os reproduzia em madeira ou argila. Dizia aos pais que queria ser construtor de automóveis. Aos 26, mudou-se para Modena, pátria italiana de marcas como Ferrari e Maserati e criou a Pagani, empresa que produz veículos exclusivos, de altíssimo luxo.   Foto: Filipe Araujo/AEO Zonda F é feito de fibra de carbono, como carros de Fórmula 1 e aviões, e por isso é mais leve     Veja também:  Galeria do Pagani Zonda FLeia a reportagem completa na edição desta quarta-feira, 30, de O Estado de S. Paulo     A marca hoje vale 100 milhões de euros e vendeu, em várias partes do mundo, apenas 100 carros em nove anos. Um deles chegou ao Brasil e foi apresentado em São Paulo nesta terça-feira, 29, o Zonda F, que será vendido por R$ 4 milhões. Há três interessados e o negócio deve ser fechado nos próximos dias. A marca é representada no Brasil pela empresa Platinuss.   O Zonda é todo feito em fibra de carbono, como os modelos da Fórmula 1 e aviões. Pesa em média 700 a 800 quilos a menos que automóveis convencionais. Também utiliza peças em titânio, alumínio e fibra. Seu desenho é inspirado em caças de guerra e jatos dos anos 60.  

Tudo o que sabemos sobre:
Carros de luxo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.