Em anúncio de novas medidas, Mantega critica governadores

Ministro da Fazenda diz que substituição tributária nos Estados limitou efeito de IPI menor sobre os preços

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

29 de junho de 2009 | 12h54

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, criticou nesta segunda-feira, 29, os Estados que realizaram substituição tributária no momento em que o governo reduziu o IPI para produtos da linha branca, para dar fôlego às empresas e estimular as vendas. Segundo Mantega, foi por esse motivo que a redução dos preços dos produtos para o consumidor não aconteceu na mesma proporção que a redução do IPI.

 

Veja também:

linkMantega anuncia prorrogação de IPI reduzido para setores

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

Mantega disse que a queda nos preços dos eletrodomésticos foi de 5% a 10%, apesar de alguns produtos, como refrigeradores e máquinas de lavar, terem tido uma queda menor que esse patamar. "Existe espaço para uma redução maior desses preços", afirmou o ministro, que faz neste momento um balanço das medidas adotadas pelo governo desde o final do ano passado para estimular a economia.

 

Mantega afirmou que alguns Estados, como São Paulo, realizaram a substituição tributária, ou seja, passaram a cobrar o tributo direto da fábrica e não no varejo, o que faz com que as empresas tenham que antecipar o pagamento de impostos. O ministro disse que não tem nada contra a substituição tributária, que é um mecanismo correto, porém foi feito no momento errado, porque tirou o capital de giro das empresas. Ele disse que irá conversar com os governadores sobre o assunto.

Tudo o que sabemos sobre:
crise financeiraGuido Mantegaimpostos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.