Em Bruxelas, ministros das Finanças europeus tentam resguardar UE

Autoridades querem alinhar uma estratégia econômica e de supervisão orçamentária para os países membros 

Cynthia Decloedt, da Agência Estado,

21 de maio de 2010 | 08h53

Uma força-tarefa acontece em Bruxelas nesta sexta-feira, entre os ministros das Finanças europeus, reunidos para alinhar uma estratégia econômica e de supervisão orçamentária para os países membros, depois que a crise da dívida na zona do euro ameaçou a estabilidade do grupo. O encontro é presidido pelo presidente da União Europeia, o belga Herman Van Rompuy.

O encontro segue-se a um acordo estabelecido entre a União Europeia e o FMI para garantir até 750 bilhões de euros em apoio financeiro a países da zona do euro que estejam em dificuldades com suas dívidas. Com o aumento da desconfiança do mercado sobre a capacidade de sustentação de países com alto endividamento e baixo crescimento, o discurso dos líderes europeus deu maior ênfase à necessidade de reformas nas estruturas da zona do euro, relacionadas aos orçamentos, e à vigilância de certos comportamentos dos mercados financeiros que, segundo eles, aceleraram os problemas de financiamento da Grécia.

A reunião deve tentar também levar aos mercados uma mensagem de coesão, diante das evidências de divergências do grupo em várias discussões, como por exemplo, no suporte à Grécia e a partir da decisão unilateral da chanceler alemã Angela Merkel, nesta semana de proibir posições vendidas a descoberto. A medida surpreendeu seus colegas e irritou a França, por não ter sido comunicada. Ontem, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, procurou desfazer tal impressão, dizendo que apoia Merkel e que não há desentendimentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.