finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Em busca de desafio e de crescimento profissional

Pesquisa mostra que o jovem também busca, no trabalho, uma empresa com infra-estrutura e boa imagem no mercado

O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2018 | 00h00

Os profissionais que se preparam para entrar no mercado querem desafios e oportunidades de crescimento. Isto é o que aponta a sexta edição da pesquisa Empresa dos Sonhos dos Jovens, realizada pela consultoria especializada em programas de estágio e trainee Cia de Talentos, revela Vitor Paschoal, diretor da consultoria. Uma junção de fatores, que inclui ainda infra-estrutura de trabalho e imagem da companhia no mercado, define qual a empresa dos sonhos dos jovens. "Não tem um motivo número 1, é um bloco todo", analisa Paschoal. Só depois aparecem salários e benefícios.Participaram da enquete via internet, realizada entre abril e maio deste ano, 18 mil estudantes universitários e recém-formados de todo o País - 16.164 respostas foram consideradas válidas.A média de idade dos participantes é de 24 anos e 62% deles é do sexo feminino. Dos entrevistados, 55% fazem estágio remunerado na área de atuação. E apenas 5% declararam nunca ter trabalhado. "O que significa que essa moçada toda está interessada.".O jovem também se preocupa com qualidade de vida, diz o consultor. O jovem profissional quer ter tempo para si. "Não é uma geração de workaholics, que sente prazer e se vangloria de trabalhar demais."RANKINGEntre as favoritas para se trabalhar, a pesquisa mostra uma valorização das empresas nacionais: elas correspondem à metade do total das citadas. E todas são de grande porte e internacionalizadas. Em primeiro lugar no ranking ficou a Petrobrás, seguida por Unilever, Companhia Vale do Rio Doce, Natura, Nestlé, Microsoft, Google, Rede Globo, IBM do Brasil e Gerdau. Paschoal considera como "mudança forte" a ausência de instituições financeiras entre as dez mais.Segundo o consultor, os jovens formam conceitos sobre as empresas através de informações na mídia e conversas com pessoas que trabalham ou já trabalharam nas empresas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.