Em busca do equilíbrio

Em tempos difíceis, observa-se a preocupação constante das organizações em busca de resultados. Não importa o segmento de atuação ou o porte da empresa, a regra de mercado é válida para todos: inovar para sobreviver!

Marcos A. de Oliveira, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2014 | 04h28

Esta demanda afeta diretamente a rotina dos executivos que, pressionados pela necessidade de inovar, muitas vezes, acabam abrindo mão de sua vida pessoal em prol dos desafios da vida profissional.

Desconheço o autor, mas adoro a frase que diz: "Inovador é alguém que tem a inocência da criança, a audácia do adolescente e a capacidade de realização do homem feito."

O que mais me chama a atenção nesta frase é a busca pelo equilíbrio de características marcantes de cada fase de nossas vidas. O que nos dias atuais, chamamos de harmonia entre as diferentes gerações no ambiente de trabalho.

Porém, esse equilíbrio não é tão fácil assim. Infelizmente, o que mais observamos são profissionais muito bem sucedidos, com resultados representativos em sua função nas empresas, mas que não conseguem reproduzir as mesmas conquistas na vida pessoal. E novamente estamos diante do desafio do equilíbrio, desta vez entre vida pessoal e vida profissional.

Dentre as frases marcantes de Peter Drucker, referência importante no mundo dos negócios, encontrei uma que também remete ao equilíbrio: "Os inovadores bem sucedidos usam tanto o lado direito como o lado esquerdo do cérebro. Eles deitam os olhos em números e em pessoas."

Quando falamos em competência, estamos falando em conhecimentos, habilidades e atitudes desejadas para que o profissional faça a diferença. O desafio está em conseguir o equilíbrio entre as competências técnicas e as competências pessoais.

Muitas organizações contratam profissionais brilhantes tecnicamente, porém em pouco tempo demitem estes mesmos profissionais pela incompetência nas relações pessoais.

Outra reflexão interessante sobre equilíbrio é apresentada por Michel Gerber, para quem somos multifacetados. Existem pelo menos três personagens dentro de cada um de nós: o técnico, o empreendedor e o gerente.

Segundo Gerber, empreendedor é aquele que enxerga oportunidades, é criativo e sempre imagina o que poderá fazer de diferente no futuro. Já o administrador é pragmático, organizado e consegue facilmente planejar as suas ações. Por último, temos o técnico, que está sempre preocupado em como as coisas serão feitas, ou seja, o executor. O grande problema é que eles, normalmente, não agem em harmonia, ou seja, não estão em equilíbrio.

Mais um desafio, encontrar o equilíbrio necessário entre esses três personagens para conseguir os melhores resultados na carreira. Quando falamos em carreira estamos tratando de um padrão de experiências relacionadas ao trabalho que abrange o curso da vida de uma pessoa, desta forma, pode-se dizer que a gestão de carreira é um processo de aprendizagem de longa duração sobre si mesmo.

Recentemente estive em uma dessas livrarias de aeroporto e enquanto aguardava o horário de embarque tive a curiosidade, até para passar o tempo, de verificar os títulos dos livros voltados à área de negócios. O que chamou minha atenção foi a quantidade de publicações com títulos bem interessantes sobre carreira, sucesso e felicidade no trabalho.

Encontrei materiais extremamente interessantes e que, com certeza, serão de grande valia para que os profissionais continuem aprimorando suas carreiras, mas toda essa informação só fará a diferença para um profissional se ele tiver um propósito.

Mark Twain uma vez escreveu que: "Os dois dias mais importantes da sua vida são o dia em que você nasce e o dia que você descobre para quê." Decisão de carreira é uma decisão de vida! Ou você, por acaso, consegue separar uma decisão da outra?

Acredito que um profissional terá uma carreira de sucesso se tiver a clareza de seu propósito, ou seja, entender o porquê, aquilo que faz sentido e tem um significado importante em sua vida, para depois pensar no como, e ai sim realizar um processo de gestão de carreira pautada pela constante busca do equilíbrio.

COORDENADOR PEDAGÓGICO

FAAP PÓS-GRADUAÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.