Em cinco dias, álcool sobe até 27% no interior de SP

Segundo o Sincopetro, reajuste representa repasse dos aumentos feitos pelas distribuidoras de combustíveis

Gustavo Porto, da Agência Estado,

07 de maio de 2008 | 10h38

O preço do litro do álcool hidratado passou de R$ 1,10 para entre R$ 1,30 e R$ 1,40 na maioria dos postos de combustíveis de Ribeirão Preto (SP), entre a última sexta-feira e a manhã desta quarta, 7. Em cinco dias, a alta acumulada em dois reajustes consecutivos variou de 18,2% a 27,2% na cidade do interior paulista.    Veja também:  Pesquisar preço é arma do consumidor contra reajuste, diz Idec Álcool ou gasolina? Calcule a opção mais econômica    Com os reajustes, o preço cobrado nas bombas volta aos mesmos níveis do praticado há um mês, quando o álcool valia R$ 1,40 em grande parte dos estabelecimentos de Ribeirão Preto. A queda para entre R$ 1,08 e R$ 1,10 também ocorreu de forma rápida, em dez dias.   De acordo com Osvaldo Manaia, presidente regional do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), o reajuste é um repasse feito pelos donos de postos dos aumentos feitos pelas distribuidoras de combustíveis.   "O reajuste ocorre em razão da alta do álcool hidratado nas usinas, já que muitas tiveram problemas para colher e moer a cana-de-açúcar em decorrência das chuvas. Até a gasolina subiu cerca de 3% nos últimos dias graças ao aumento do anidro", disse Manaia. A gasolina comercializada nos postos recebe 25% de álcool anidro.   De acordo com o levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea/Esalq), nas duas últimas semanas o litro do álcool hidratado nas usinas de São Paulo aumentou 9,85%, de R$ 0,6972 para R$ 0,7659. Com os impostos e os ganhos na cadeia, o preço do álcool hidratado varia 82,8% entre a saída das usinas e o tanque do veículo.   Já o preço do álcool anidro aumentou 3,8% também no acumulado das últimas semanas nas usinas de São Paulo, de acordo com o levantamento do Cepea/Esalq, de R$ 0,7728 para R$ 0,8022.

Tudo o que sabemos sobre:
Combustíveis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.